AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO MUNICÍPIO TEM COMO CARRO-CHEFE A INCLUSÃO

Escolas de Catu e de outros municípios apresentaram trabalhos realizados ao longo do ano

Educação
Sábado, 07 de Dezembro de 2019.
Prefeitura Municipal


Na última terça-feira (03) aconteceu o Seminário de Encerramento da Formação da Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional. O projeto é uma iniciativa do Instituto Esporte Educação com o apoio da Petrobras. Com o suporte da Secretaria de Educação e Cultura de Catu, professores de educação física das escolas municipais desenvolveram projetos voltados à dança, atletismo, futsal, handebol, entre outros.

 Ao longo do ano letivo o curso desenvolveu 10 módulos com os professores, que aplicaram em sala de aula tudo que aprenderam. A proposta principal foi a “Escola Ativa”, um método desenvolvido pelos Parceiros Multiplicadores, que tem o objetivo de fugir do modelo engessado de sala de aula, através de práticas corporais no dia a dia, atividades lúdicas e a interação comunidade/escola.

Catu foi escolhida como polo sede dos 7 municípios da região em que a rede atua. Professores de Cardeal da Silva, Pojuca, Esplanada, Entre Rios, Alagoinhas, Araçás e Catu expuseram o trabalho realizado ao longo do ano no CEPE Catu, na última terça-feira (03).

Maiane Luz de Vasconcelos, professora de educação física da Escola Municipal Themístocles César Goes, participou do evento e apresentou fotos das aulas e materiais desenvolvidos. “É uma proposta superinteressante, porque a Educação Física ainda tem uma dificuldade com a sistematização do conteúdo e quando a gente participa de um projeto que consegue dialogar com os municípios e estruturar o máximo dos elementos da área é fantástico”, disse a professora.

Ao longo do ano em Catu, foram realizadas atividades como gincanas, oficinas esportivas, jogos escolares, festival de dança e outros projetos interdisciplinares com proposta inclusiva. Entre o Ensino Fundamental I e II cerca de 15 escolas municipais foram atendidas pelo projeto.

Segundo a professora, a inclusão nas aulas de educação física é realidade em Catu há muito tempo. “Todas as ações da proposta da educação física escolar no município é para que seja para todos, essa lógica de que menino joga futebol e menina joga baleado a gente já conseguiu quebrar substancialmente”, explica.

“Exemplo disso é que nos jogos escolares a gente teve 8 equipes de futsal inscritas, equipes de handebol, meninas no atletismo... Todas as modalidades que foram propostas a gente teve inscrição tanto do público masculino quanto do feminino e também a questão dos outros elementos do esporte como a dança e a luta, no festival de dança a gente teve garotos que se desenvolveram muito bem também”, acrescentou.

A inclusão de meninos e meninas, habilidosos ou não em todos os elementos da educação física escolar é importante para formar cidadãos mais ativos, com maior consciência corporal, combatendo o ensino tecnicista e promovendo o saber sistematizado.



Voltar