Vila de Santana em parceria com Associação dos Músicos Catuenses apresenta Palco Alternativo

Espaço contempla os artistas da terra abrangendo diversos estilos musicais

Ações Especiais
Terça, 18 de Junho de 2019.
Prefeitura Municipal


O São João de Catu já está consolidado no calendário junino do estado da Bahia, dentre as cidades do interior. É conhecido pela tradição e resgate da cultura nordestina. Este ano, a Vila de Santana, abre o espaço para os músicos da terra, abrangendo também diversos estilos musicais.

Em uma parceria da Prefeitura de Catu, com a Associação dos Músicos Catuenses (ASMUC) traz pela primeira vez nos eventos culturais do município o projeto “Palco Alternativo”, com apresentações de artistas locais e seus diversos estilos musicais.

O presidente da Associação, Keu Guerra, comenta da conquista. “O Palco Alternativo é uma iniciativa da ASMUC, e visa dar oportunidade aos artistas da música da cidade mostrar o seu trabalho nos eventos de grande porte do poder público. Projeto este, que foi abraçado pela administração atual e esperamos que obtenha êxito nessa 1ª edição, na Vila de Santana, para que posteriormente a Prefeitura de Catu possa continuar abrindo e ampliando este espaço.”.

Com as participações de Bel Silva, Pedrinho Pinheiro (Zé de Pedro), Iracema Improta, Lino MC, Paula Portugal, Priscila Ribeiro, Érico Silva e Victor Viotti, o público poderá curtir reggae, pop, rock, rap, dentre outros.

A apresentação dos músicos com a Charanga do Gatão/ ASMUC acontece no dia 24 de junho às 16h. E no dia 25 de junho, o grupo Errê Ah Pê, se apresenta às 18h.

“Outra conquista e avanço é a possibilidade de artistas de diversos gêneros poderem mostrar seu trabalho no São João, sem necessariamente para tocar forró. Estamos dando o nosso primeiro passo, é uma ação colegiada da Associação, “abraçado” por todos os músicos, que estão disponibilizando o seu trabalho para a comunidade e visitantes que vão estar aqui prestigiando o evento.”. Finaliza Keu Guerra.

O Prefeito Gera Requião, diz que a intenção é " buscar formar um palco alternativo, mas que tenha relação com a cultura popular”. Para ele, a novidade, sem dúvida, é uma opção para quem quer ver uma programação diferente da que tradicionalmente se encontra em todos os eventos juninos. 



Voltar