Desfile Cívico em homenagem a Independência do Brasil reúne cerca de 3 mil participantes

Com o tema: a educação tecendo uma feliz cidade, população vibrou com o desfile nas ruas da cidade

Cultura
Segunda, 10 de setembro de 2018.
Prefeitura Municipal


No feriado de 7 de Setembro, data em que se comemora a Independência do Brasil, Catu foi palco do exuberante desfile cívico, promovido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Com a participação de quase 3 mil participantes, distribuídos em alas com temas diversificados em homenagem a história de Catu nos seus 150 anos de história, o desfile cívico do 7 de setembro foi emocionante e considerado o maior desfile da história do município. Além da participação dos alunos da rede pública e particular de ensino, as ruas foram tomadas pela população, que foram assistir com suas famílias.

Com o tema: a educação tecendo uma feliz cidade, os alunos da rede pública e particular de ensino apresentaram a história do município através da política, o apogeu do petróleo, manifestações religiosas e festivas de Catu, manifestações culturais, a história dos distritos, riquezas do campo, artistas da terra e diversos outros temas que relatam a história de construção de Catu.

O desfile percorreu a rua Simões Filho, passando pela Praça Geonísio Barroso e finalizando na rua Desembargador Pedro Ribeiro, no Centro da cidade. Além dos alunos, professores, funcionários da administração., apresentação de fanfarras e grupo dos Desbravadores do Rei fizeram lindas participações durante no evento.

O tema foi divido em 11 alas, onde poderem trabalhar em cada fase especial que Catu viveu. A primeira ala, foi aberta pela fanfara da escola municipal Jecelino José Nogueira e a escola municipal Barão de Camaçari, com o tema: " Memorias de uma feliz cidade", onde foi relembrado os aspectos mais relevantes  da cultura catuense, provendo uma reflexão critica sobre os avanços e permanência na mesma. A segunda ala foi representada pelas escolas Maria Gabriela S. Seixas e Francisco Xavier com temas " Catu, uma cidade indígena" e " Catu, 150 anos: Nosso bairro, nossa cidade". Em sequencia, a fanfara da escola municipal Geminiana S. Assunção com o tema " Bela Flor, raiz forte dos catuenses" representando a cultura e tradição de Bela Flor. Logo apos a escola municipal rural Dom Justino José Santana, trouxe o tema " Sitio Novo, um pedacinho do Céu" e a escola municipal Laura Batista com o tema " Pau Lavrado encantando nos 150 anos de Catu" com objetivo de marcar também a foça distritos na história de crescimento e evolução aos 150 anos de Catu. 
Na sexta ala, as escolas Gilberto Alves de Araujo e Gilberto da Mata trouxe os temas respectivamente " Catu, 150 anos de riquezas no teu solo" e " Salve Catu, 150 anos: Valores da terra" com o proposito de retratar os valores culturais da cidade e as empresas que também fomenta a economia local. Na sétima ala objetivo foi mostrar as principais manifestações religiosas e as festas locais com os temas: " Catu 150 anos: do sagrado ao profano! Nossas festas." e " Catu, 150: Festas tradicionais e nossas vivencias " as responsáveis por esta ala foram escolas municipais Prof. Raimundo Mata e Helena Araujo. 

Logo após, a fanfara Anna Bitencourt trouxe como tema; Catu 150 anos: Celebrando seus artistas" com participação de artistas catuenses em sua ala, como o artista plastico Edi Ribeiro e entre outros. 

A escola municipal Themistocles Cezar Góes trouxe para a nona ala o tema; Catu 150 anos: um povo que constrói a sua história." refletindo e construindo sobre as mudanças ocorridas nesse período aos dias atuais.  A fanfara da escola municipal Cônego Diamantino na décima ala trouxe muito do passado com o tema: Na vanguarda do progresso seus filhos hão de ver-te forte!" Já a fanfara da escola municipal Jorge Luis na décima primeira ala falou muito sobre as mulheres, com o tema: Catu 150 anos, Mulheres Notáveis. " mostrando assim a força e poder que a mulher na contribuição da história de Catu. Ainda nesta ala, o colégio Athena, trouxe o tema. " Ana Maria, 60 anos de educação." com proposito de conhecer e valorizar a história da professora Ana Maria Pinto com espirito de gratidão pelo seu amor á comunidade Catuense.                                


Voltar